Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



facebook




Contacto

Facebook


Parlamento dos Jovens: aluno critica salários elevados dos políticos portugueses

Sábado, 19.07.14

 

Um aluno de Santo Tirso criticou, no Parlamento dos Jovens da Assembleia da República, o salário elevado dos deputados. São no mínimo três mil euros brutos.

 

O programa Parlamento dos Jovens é, segundo o site do Parlamento, “organizado pela AR, em colaboração com outras entidades, com o objetivo de promover a educação para a cidadania e o interesse dos jovens pelo debate de temas de atualidade”. Este tem a participação “de Deputados, designadamente da Comissão de Educação, Ciência e Cultura, órgão parlamentar responsável pela orientação do programa”.

 

 

No debate mais recente, um aluno de Santo Tirso atacou, imitando a forma como fala um deputado, os valores elevados tabelados pelos quais os deputados auferem o seu rendimento.

 

 

Criticou o valor para comunicações, que é de cerca de duzentos mil euros. Pergunta ainda, “será que esta casa, a casa da democracia, está a respeitar a democracia?” ironizando em seguida a situação de Cavaco Silva que vai receber mais da sua pensão com as reestruturações efetuadas este ano.

Tal como indicado num artigo do Tugaleaks, os valores da Assembleia da República para 2014 ascendem aos 5 milhões de euros em relação aos de 2013.

 

Só para “Vestuário e artigos pessoais” vai haver um aumento de 14 mil euros, para falar ao telemóvel um aumento de 2 mil euros e para “Dotação Provisional”, ou seja, despesas que surjam inesperadas, são mais 2 milhões de euros.

 

      

 

Já os salários dos deputados da Assembleia da República fixam-se acima dos 3 mil euros brutos. Dependendo do cargo e das comissões onde o deputado está inserido, bem como das deslocações, este valor pode subir de acordo com o nosso artigo escrito em Agosto de 2013 sobre este tema.

 

É por isso legítima a questão deste aluno que, na tenra idade, tocou com o dedo na ferida: “será que esta casa, a casa da democracia, está a respeitar a democracia”? Para ele, “parece que não”.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)